quinta-feira, 20 de junho de 2013

Crise da mandioca desativa casas de farinha em Salitre

EFEITOS DA ESTIAGEM
O desemprego de 5 mil trabalhadores agrava os problemas sociais de um dos municípios mais pobres da região Sul
Salitre. A crise na produção da mandioca afeta a produtividade de farinha no município de Salitre, maior produtor da região e 13º município do Estado com o maior índice de pobreza, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A insuficiência da safra é a principal causa para o fechamento das unidades produtoras, que consistiam numa importante atividade econômica fotos: Amaury Alencar
Segundo avaliação dos produtores, cerca de 5 mil pessoas estão desempregadas e 82 casas de farinha estão fechadas. O principal fator de crise do setor é a estiagem, com queda substancial na produção da matéria-prima. A economia da cidade está sendo afetada e os comerciantes sentem o impacto em 70% de suas vendas.

Segundo o produtor de farinha de mandioca, Elias Antonio Albuquerque, há em torno de 25% das casas de farinha em funcionamento, mas rodam com a capacidade de 30%. "Das 102 casas de farinha que há no município, grande parte está fechada, aguardando uma nova safra da colheita", diz ele. Mas os produtores já adiantam a queda na safra em torno de 60%. Essa nova produtividade deverá se iniciar mês que vem.

Redução
A área de plantio da mandioca é em torno de 16 mil hectares. Neste ano, em função do período de estiagem, a área foi reduzida em pelo menos 50%. Com isso, a produção poderá ser afetada em mais da metade. O município tem uma população em torno de 16 mil habitantes, onde 70% sobrevive da cultura da mandioca.

Para amenizar o impacto dos prejuízos, os produtores de farinha de Salitre chegaram a comprar a mandioca de outros estados, como Alagoas, São Paulo e até Minas Gerais, para suprir a falta do produto e não ver praticamente parada a produção.

Mesmo assim, avaliam que não é de boa qualidade e chega às casas de farinha vencido. Atualmente, a produção está alcançando em torno de 10 sacas por hectare.

Os produtores aguardam apoio da administração local a compra de equipamentos, adubos e manivas, usada no plantio.

Qualidade

Elias disse que a farinha adquirida nos estados de Mato Grosso, Paraná, e Santa Catarina, para serem comercializados em Salitre, não é orgânica e isso muda muito a qualidade e o sabor do produto, entrando com um custo bem mais abaixo do cobrado no Estado. A estrutura mecanizada é bem maior e o valor fica mais barato para a produção.

Para o produtor, há uma necessidade de investimentos governamentais em uma atividade mecanizada e com mais tecnologia, para facilitar a competitividade de mercado, com os produtores do sul do Brasil.

"Com investimento em máquinas mais moderna, passaremos a produzir mais barato, porque toda a cadeia produtiva envolve desde a geração do emprego e renda, passando a movimentar o comércio e a todas as demais fontes econômicas", avalia. A pecuária acaba sendo também beneficiada com o produto, além das granjas, com a casa da mandioca para o alimento dos animais.

São quase 2 mil famílias que vivem diretamente dentro das roças de mandioca. Nas cidades de Araripe, Salitre e Campos Sales, essa produção chega a atingir cerca de 4 mil pessoas.

Escassez

O prefeito do município de Salitre, Rondilsom Ribeiro de Alencar, enfatizou que apesar das circunstâncias da seca, a mandioca é ainda uma das maiores fontes produtoras de renda.

Com dois anos de escassez do produto, o prefeito enfatiza o período de dificuldades. Ele destaca os prejuízos na cidade, e diz que para superar o drama está buscando recursos junto ao governo do Estado para tentar superar a problemática. Ele prevê com isso, mais incentivo no próximo ano para o plantio da mandioca. "A salvação ainda está sendo os programas governamentais como o seguro safra, onde os produtores que perderam suas plantações estão recebendo estes incentivos governamentais", diz o prefeito.

Na sede do município, há 15 casas de farinha paradas, gerando um grande número de desempregados. "Estamos buscando junto ao Ministério da Integração Nacional a aquisição de cestas básicas de alimentos, para distribuir com essas famílias, porque de fato a seca irá se iniciar agora", avalia. Os técnicos da secretaria de Agricultura já estão em busca de sementes e ramas para que possam ser plantadas no próximo ano.

Estratégia
"A salvação ainda está sendo os programas governamentais como o Seguro Safra para os produtores"
Rondilsom Ribeiro de Alencar
Prefeito de Salitre

"Com investimento em máquinas mais moderna, passamos a produzir mais barato com geração do emprego e renda"
Elias Antônio Albuquerque
Produtor

Mais informações
Prefeitura Municipal de Salitre
Rua São Francisco, S/N
Centro
Região do Cariri
Telefone: (88) 3537.1196

ELIZÂNGELA SANTOSREPÓRTER 

Nenhum comentário: