segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Fiéis recebem carta de reconciliação com Padre Cícero

Mensagem foi ouvida por cerca de 50 mil romeiros em tradicional missa em frente à Capela do Socorro
Juazeiro do Norte. A leitura da carta-mensagem escrita pelo secretário de Estado do papa Francisco, Pietro Parolin, e com a anuência do pontífice, tratando da "reconciliação histórica" da Igreja Católica com o Padre Cícero Romão Batista, após 123 anos do sacerdote ser afastado de ordens, foi presenciada por cerca de 50 mil romeiros, na manhã de ontem, em tradicional missa realizada mensalmente em frente à Capela do Socorro, local onde estão depositados os restos mortais do patriarca juazeirense.
O bispo dom Fernando Panico, que presidiu a solenidade, concelebrada por 17 padres da Diocese e cinco bispos de outros estados, classificou o momento como "histórico" ao afirmar que a partir da reconciliação da Igreja com o sacerdote, "ninguém mais poderia dizer que essa imensa nação não é católica. Vocês são e sempre foram católicos verdadeiros". No fim, o celebrante depositou rosas sobre o túmulo do religioso.
A missa contou com autoridades políticas, como o governador Camilo Santana, que destacou o momento de conquista para os romeiros, e compartilha da alegria, que considera de grande importância para os fiéis. "É um dia de muita emoção. Depois de décadas, os fiéis celebram este momento tão aguardado. Momento de reconhecimento, pois Padre Cícero foi um religioso de muita fé e que sempre acolheu os mais necessitados".
História
O pesquisador Renato Casimiro disse que o mais importante diante da mensagem é a maneira como a Cúria Romana se posiciona diante desse personagem, com um olhar novo sobre o que ele foi capaz de fazer para o povo de Deus. "Mais importante do que a gente ficar revisando essas outras coisas. Não houve um decreto. O que houve foi uma carta amorosa, da maior instituição da Igreja Católica Apostólica Romana para um filho de Deus na terra. Esse missionário que passou por aqui, que tivemos a oportunidade de tê-lo por perto, e que agora é considerado".
No fim da celebração, dom Panico deu a notícia de que o pau de arara, tradicional transporte usado pelos romeiros, poderia voltar a ser utilizado normalmente já a partir da Romaria de Natal, que começa nesta semana, quando a cidade recebe milhares de pessoas. O bispo ressaltou, no entanto, que estarão sendo analisadas, posteriormente, adequações para esse tipo de transporte, como forma de garantir a segurança dos romeiros. Camilo Santana destacou que "já foi feito um acordo com os responsáveis pelas rodovias estaduais, quanto a isso não há problema. Estamos apalavrado com os órgãos das rodovias federais e, em breve, sairá uma portaria liberando o transporte".
Comemorações
No sábado (19), centenas de motos, carros e caminhões saíram em carreata pelas principais vias de Juazeiro do Norte, até o largo do Socorro, onde foi celebrada uma missa campal e em seguida um show de Jota Farias.
Durante todo o trajeto, os fiéis carregaram a imagem do patriarca juazeirense, oraram e louvaram. "Tudo fica diferente, porque ninguém poderá mais falar dele. É a nossa fé e nossa esperança. É uma riqueza para nós todos", afirma a aposentada Teresa Rosanila da Conceição, ao vivenciar o que um dia sentia que aconteceria.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Superior Tribunal de Justiça anula júri por uso de algema em réu durante julgamento

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por maioria, anulou uma sessão do tribunal do júri porque o réu, acusado de homicídio...