quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Três cearenses são presos por tráfico no RN

Um trabalho em conjunto envolvendo a Polícia Federal (PF) e a Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte (PM-RN) resultou na prisão de três cearenses por tráfico de drogas e associação para o tráfico naquele Estado. Dentre os homens capturados está um que figurava na lista da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) dos criminosos mais procurados do Ceará. Na ação, foram apreendidos ainda 37 quilos de crack e três veículos.
A operação foi desencadeada na noite da última segunda-feira (7), mas divulgada somente na madrugada de ontem pela PF. De acordo com o órgão, há alguns meses, os investigadores já possuíam a informação de que Jangledson de Oliveira, o 'Nem', de 27 anos, estaria residindo em Natal, onde teria se tornado responsável por comandar a venda de entorpecentes.
Conforme a SSPDS, 'Nem' "é suspeito de crimes de roubo, inclusive latrocínio, homicídios e formação de quadrilha". No Ceará, ele atuava na região do Eusébio e Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Contra ele havia mandado de prisão em aberto.
Segundo a Polícia Federal, foi então dado início à investigação, para apurar o paradeiro de 'Nem', considerado extremamente violento e perigoso pelos órgãos de Segurança Pública. As apurações dos agentes federais, então, descobriram que o cearense estava abrigado em um sítio no Distrito de Pium, em Nísia Floresta, na Região Metropolitana de Natal. A movimentação do suspeito, então, passou a ser observada pelos policiais federais.
Na tarde de segunda-feira, um táxi de placas OIN-8216, de Pacatuba, deixou o sítio e seguiu à BR-304, em direção ao município de Lajes, a aproximadamente 130 quilômetros de distância da Capital Potiguar, Região Oeste do Estado.
Foi então pedido apoio à Polícia Militar do Rio Grande do Norte, para abordar o veículo suspeito. No carro, foram encontrados cinco quilos de crack. O motorista Francisco Wagner Ferreira Silva, de 28 anos, foi preso em flagrante. Os demais policiais seguiram então para o sítio em Nísia Floresta, que seguia sob observação dos federais.
Lá estavam 'Nem' e Francisco Elanio Morais de Sousa, de 21 anos. No endereço foram encontrados e apreendidos mais 17 quilos de crack que foram encontrados dentro de uma bolsa, enterrada no quintal da casa. A Polícia ainda apreendeu três veículos que estavam no sítio.
Ontem, após novas bucas na casa, os federais encontraram mais 15 quilos de crack que estavam enterrados, além de 15 quilos de fenacetina (composto que é diluído na fabricação de crack e cocaína), uma balança de precisão, formas plásticas e munição de fuzil de calibre 7,62.
Em nota enviada à reportagem, a PF informou que "levados para autuação, os suspeitos apresentaram versões conflitantes durante os seus depoimentos". Todos permanecem presos, custodiados na sede da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, no bairro Lagoa Nova, em Natal, à disposição da Justiça.
Ainda em nota, a PF informou que as investigações levam o órgão a acreditar que a droga que era negociada pelo grupo cearense chefiado por 'Nem' chegou ao RN por via terrestre, oriunda do Estado de Mato Grosso, no Centro Oeste do País.
Expansão
As investigações da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) apontam para a expansão da atuação do grupo criminoso comandando por 'Nem'. Antes atuante na Região Metropolitana de Fortaleza, o grupo migrou para o Rio Grande do Norte.
Em outubro de 2014, um evento modificou toda a cadeia da associação criminosa, ampliando o alcance da quadrilha.
O então chefe do tráfico no Eusébio, José Roberto Honório da Silva, o 'Roberto Oião', foi assassinado a tiros em um balneário às margens do Rio Pium, em Parnamirim, Região Metropolitana de Natal. O principal suspeito de executar o traficante é William Costa Oliveira, o 'Perna Fina', conforme relatou à época a delegada Ana Lúcia Almeida, titular da Delegacia Metropolitana do Eusébio. 'Perna Fina' foi preso em março deste ano em Natal. Segundo as investigações da Polícia Civil, ele teria agido a mando de 'Nem', que objetivava tomar o controle da associação criminosa, antes sob domínio de 'Roberto Oião'.
A história da quadrilha, no entanto, teve início no ano de 2009, com Victor Antônio da Silva Oliveira, o 'Salsicha'. Ele organizou um grupo que começou no assalto e acabou enveredando para o tráfico de drogas na RMF. 'Salsicha' foi morto em maio de 2011, durante confronto com a PM em Caucaia. A chefia do grupo passou por vários outros homens e chegou a Roberto 'Oião' e depois a 'Nem'.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Homem é executado com vários tiros no bairro Campo Velho, em Quixadá

O clima de aparente calmaria e tranquilidade de Quixadá, foi quebrado na noite deste sábado (14) quando um homicídio a bala foi registrado...