quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Procissão com 100 mil fiéis encerra Romaria das Candeias no Ceará

É a primeira celebração onde imagem do Padre Cícero está na igreja.
Romarias durante o mês atraem cerca de 300 mil pessoas a Juazeiro.

Do G1 CE
Cerca de 100 mil romeiros participam nesta terça-feira (2) da procissão em homenagem a Nossa Senhora das Candeias, em Juazeiro do Norte, sul do Ceará. A romaria teve início na quarta feira (27) e será encerrada com a procissão de velas desta terça-feira. Além da programação religiosa, a prefeitura realiza atividades artísticas e culturais, com exposições temáticas no Memorial Padre Cícero. Segundo a prefeitura, são esperados peregrinos de todos os estados do Nordeste.

A mais antiga de Juazeiro do Norte, a Romaria das  Candeias, segundo os devotos, foi iniciada com uma ideia de padre Cícero. “Essa devoção nos remonta ao final do século XIX, quando o padre Cícero difundiu para os habitantes de Juazeiro do Norte, para o povo da época, essa devoção à luz: Nossa Senhora das Candeias quer dizer aquela que aponta para a luz. A luz é Jesus e ela é o candelabro, aquela que conduz a luz. O padre Cícero se apropria dessa ideia e difunde essa devoção muito bonita”, conta o padre Aureliano Gondim.
Mas aquela também era época de uma grande seca e a maioria da população não tinha renda. "Nos diz a história que, na época, existiam ferreiros que viviam desempregados e não tinham como dar sustento às famílias. Então o padre Cícero disse: 'comece a confeccionar candeeiros'. O povo, por devoção e para se apropriar da procissão adquiria os candeeiros e participava da Procissão das Candeias. O romeiro ia para a procissão rezar, mas também ajudava a quem precisava garantir o sustento da família”, diz. 

Essa é a primeira romaria depois que a Igreja Católica concedeu perdão ao padre Cícero e a imagem dele pode ser afixada na igreja. O “padim Ciço”, como é conhecido popularmente,  morreu sem conciliação com a igreja católica após o caso conhecido como "milagre da hóstia", no final do século XIX. Segundo a crença popular, uma hóstia dada pelo Padre Cícero virou sangue na boca de uma beata. A Igreja Católica afirmou que o padre interpretou de forma equivocada a teologia bíblica e  ele foi proibido de exercer funções eclesiásticas.
Reconciliação
  •  
Retrato de padre Cícero foi conduzido por fiéis até a igreja de Juazeiro do Norte (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)Retrato de padre Cícero foi conduzido por fiéis até a igreja de Juazeiro do Norte (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
“O povo avista aquele quadro que traz a estampa do Padre Cícero, ainda não como santo, pois ainda tem um processo longo. Mas é um passo importante porque reconhece a figura do Padre Cícero como um homem de Deus, um grande pastor que zelou pela fé do povo. Aquela imagem lá no altar é para dizer que alí esta uma pessoa realmente ilustre, um filho de Deus que soube olhar para os mais necessitados”, acredita Padre Aureliano.

Em dezembro de 2015, o Vaticano anunciou a reconciliação de padre Cícero com a religião. Com o perdão, não há mais fatores impeditivos para que o "santo popular" do interior do interior do Ceará seja beatificado ou canonizado, segundo o chanceler da diocese do Crato, Armando Lopes Rafael. Leia o resumo da carta em que o Vaticano declara reconciliação com padre Cícero.
Na "missa do chapéu", fiéis usam chapéus semelhantes ao que padre Cícero vestia (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)Na "missa do chapéu", fiéis usam chapéus semelhantes ao que padre Cícero vestia (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Superior Tribunal de Justiça anula júri por uso de algema em réu durante julgamento

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por maioria, anulou uma sessão do tribunal do júri porque o réu, acusado de homicídio...