quarta-feira, 2 de março de 2016

Governo destina 87 policiais para patrulha da divisa

Fortaleza. Um total de 87 policiais e sete viaturas farão o policiamento nas divisas dos Estados do Ceará e Piauí, ao longo de 16 municípios cearenses. A ação policial terá como prioridade, sobretudo, o combate ao tráfico de drogas e ao crime organizado inter-estadual, especialmente o assalto a banco.
Para a efetivação do serviço, o governador Camilo Santana lançou, ontem, da 3ª e 4ª companhias do Batalhão de Divisas, mantidas pela Polícia Militar do Ceará. Em solenidade, realizada na Praça da Igreja da Matriz, em Crateús, no Sertão dos Inhamuns, ele destacou o empenho da Segurança Pública, em se manter mais atuante numa das áreas mais sensíveis do Estado, por envolver uma grande dimensão geográfica, que se torna vulnerável à ação criminosa.
Ostensivo
Somente, na 3ª Companhia, com sede em Crateús, serão mobilizados 44 homens e três viaturas, para abranger com policiamento ostensivo uma área de 200Km, responsáveis pelas ações no entorno do dois Estados, nas cidades de Quiterianópolis, Novo Oriente e Poranga.
O comandante da 3ª Companhia, major Vicente Andrade, destacou ser essa uma ação que dá um passo importante no combate às atividades criminosas que se desenvolvem nessas áreas bastantes susceptíveis. No caso do Ceará, a diversidade geográfica é compreendida por sertão, serra e litoral. O major disse que haverá, inicialmente, algumas limitações táticas, como o uso de helicóptero, de cães e maior número de viaturas.
Já na 4ª companhia do Batalhão de Divisas, os policiais vão atuar numa faixa que se estende pelas cidades de Barroquinha, Granja, Viçosa, Tianguá, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Carnaubal, Guaraciaba do Norte, Croatá e Ipueiras. As outras quatro ficarão com a 4ª CIA, sediada em Chaval, que conta também com 44 policiais. Devido à grande extensão da divisa com o Piauí, três companhias atuarão. A próxima a ser lançada será sediada em Parambu (6ª CIA).
Camilo destacou que a interiorização das ações de segurança é um compromisso pessoal assumido por ele. "O Ceará não produz drogas. Ela chega por vias aéreas ou terrestres. Vamos lutar contra isso. Tomei como desafio pessoal a questão da segurança pública do Estado e não vamos conseguir vencer essa batalha se não estivermos todos unidos. É preciso esforço, prevenção", disse.
Dificuldades
Apesar de as companhias disporem de viaturas compatíveis com o terreno, para os policiais, há dificuldades reais para as atividades de segurança nessa área. Uma delas decorre do mau estado de conservação das estradas. A pior delas é a que liga os municípios de Quiterianópolis a Parambu, que não é pavimentada. Esse sempre foi um desafio para esconderijos e atividades clandestinas.
Atualmente, segundo o major Vicente Andrade, há um fluxo do comércio de drogas, principalmente a cocaína. Ele afirma que a presença policial será um fator considerável na redução do tráfico, que alimenta outras atividades criminosas. "Nosso trabalho será essencialmente ostensivo. As atividades de informação ficarão a cargo do Departamento de Inteligência Policial", afirmou.
O Batalhão de Divisas está sendo implantado em três fases e contará com um total de 242 policias militares. A primeira delas foi lançada, no dia 11 de julho, com a implementação das 1ª e 2ª Companhias. As duas companhias contam com 109 policias. A 1ª CIA conta com 55 policiais militares e atua em Brejo Santo, Jati, Penaforte, Jardim, Barbalha, Crato, Santana do Cariri, Araripe e Salitre, que fazem divisa com Pernambuco. Já a 2ª CIA, com 54 policiais, cobre Icó, Pereiro, Ererê, Potiretama, Alto Santo, Tabuleiro do Norte e Limoeiro do Norte, que fazem divisa com o Rio Grande do Norte.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Raio de Canindé bota pra lascar.

Foi preso na noite de terça feira no bairro do “S”,  individuo portando um revolver cal. 38 o nome dele não foi divulgado, o que se sabe p...