sábado, 5 de agosto de 2017

Associação de PMs critica “julgamento prévio” de policial que agrediu mulher que pedia socorro

Resultado de imagem para policial da tapa na cara de advogadaO caso da mulher que foi agredida por um policial militar em vídeo divulgado no último domingo (30), na Avenida Beira-Mar está causando grande repercussão e polêmica em relação a postura do policial. Nesta quarta-feira (3), a Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (Assof) emitiu uma nota nas redes sociais falando sobre a investigação do caso e em defesa do profissional militar.
Na nota, a associação reconhece o fato e que as investigações do ocorrido já aconteceram, porém critica o fato que o policial já está sendo julgado pela opinião pública, e que o profissional não teve direito de defesa.
Ocorre que desde o momento em que um recorte da ocorrência (vídeo) “viralizou” nas redes sociais, uma infinidade de “juízes virtuais” passou a julgar sumariamente não só a AÇÃO/CONDUTA do policial, mas execrar e demonizar a PESSOA do policial, ferindo sua imagem, sua honra, sua família e todo o seu histórico profissional positivo, bem como adotando a tola ideia da generalização, ferindo gravemente a todos os membros de uma instituição que atua há quase 200 anos na defesa do povo cearense. E isso nós não podemos aceitar inertes. A razão de ser do Princípio da Presunção de Inocência, previsto no art. 5º da Constituição Federal de 1988(ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória) é evitar o prejulgamento, o juízo de valor antecipado proferido sem uma apuração prévia e minuciosa de todos os fatos e em busca da verdade real. A condenação prévia, lastreada numa antecipação de culpabilidade, apenas e tão somente por ser o acusado um policial militar, significa tratá-lo como inimigo e ceifar-lhe o direito de defesa, numa demonstração cabal de execrável imputação objetiva”, diz o início da nota.
A associação reitera ainda que em 15 anos de prestações de serviços o policial sempre teve uma conduta profissional.
“Afirmamos, sem qualquer receio, que o Capitão PM, suposto “agressor”, por suas cotidianas condutas em seus quase 15 anos de atividade policial, é um excelente profissional. Oficial jovem, probo, trabalhador, inteligente, muito bem conceituado por seus superiores, exemplo para seus pares e bastante respeitado por seus subordinados. É cidadão ativo nas transformações sociais, participando há anos de projetos sociais que objetivam prevenir a entrada e resgatar jovens carentes do mundo do crime. Ele não é, nem somos nós, super-heróis. Há um ser humano sob aquele uniforme. Essa é nossa natureza e ela nos sujeita a falhas. Uma única conduta falha, se assim for decidido pelas autoridades competentes, não deve desabonar toda uma história de bons serviços prestados”, segue a nota.
Na última terça-feira (2), o secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, o delegado André Costa, comentou nas redes sociais sobre que os policiais são treinados para servir e proteger a população.
“Peço que não tratem a exceção como regra. Vamos aguardar a devida apuração do caso, que será tratada com independência e buscando a verdade. A Polícia Cearense continua firme na missão de defender os cidadãos e buscar uma maior aproximação com a população, pois todos nós somos responsáveis pela segurança pública”, publicou.
Relembre o caso
Um vídeo que mostra a agressão de um policial a uma mulher repercutiu na internet. As imagens, divulgadas no domingo (30), mostram uma discussão entre uma mulher e um policial, que acabou em um tapa na cara, na Avenida Beira Mar, em Fortaleza. O vídeo mostra uma mulher, com roupas de esporte e tênis, falando com um policial. É quando o policial acerta um tapa na mulher e manda ela falar baixo. Outro policial chega mais próximo e afasta a mulher, até que ela decide ir embora.
A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou, por meio de nota, que o caso está sendo apurado e que o policial agressor foi afastado de suas funções e se apresentará no Quartel do Comando Geral (QCG), nesta terça-feira (2). Ainda ressaltou que não compactua com nenhum tipo de violência e não apoia ações excessivas por parte de seus servidores.
http://g1.globo.com/ceara/noticia/video-mostra-policial-agredindo-advogada-na-avenida-beira-mar-em-fortaleza.ghtml
Fonte: tribuna do ceara

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Homem é executado com vários tiros no bairro Campo Velho, em Quixadá

O clima de aparente calmaria e tranquilidade de Quixadá, foi quebrado na noite deste sábado (14) quando um homicídio a bala foi registrado...