quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Preso suspeito de tentar resgatar Alemão de penitenciária

Fabiano de Souza da Silva é acusado de ser o "olheiro" do bando que resgataria detentos
Foi preso um homem suspeito de participar do grupo que tentou resgatar detentos da Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, cidade da Região Metropolitana, durante a madrugada desta terça-feira (08). Na ocasião, três homens foram baleados, entre eles Antônio Jussivan Alves dos Santos, o "Alemão", acusado de ser o mentor ao assalto ao Banco Central de Fortaleza, ocorrido em agosto de 2005.
Fabiano de Souza da Silva, de 39 anos, foi flagrado no entorno do presídio com uma motocicleta furtada. Ele é apontado como o “olheiro” do bando que atacou a unidade prisional.
A Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) acionou reforço e, de forma rápida, policiais dos Batalhões Especializados intervieram na situação e entraram em confronto com os criminosos que atiravam. Durante a troca de tiros, os presidiários “Alemão” e Antônio Carlito Avelino, conhecido como “Boi”, foram feridos e socorridos ao Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza, escoltados por policiais. 
Além de Alemão e Boi, Paulo Laércio Pereira de Freitas, o “Paulo Cabecinha”, também tentou escapar da unidade e foi impedido pelos agentes de segurança. Segundo nota da Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus), os três presos serraram as grades de ventilação de uma cela, cortaram a grade que separa as vivências da muralha e se preparavam para jogar a teresa, uma espécie de corda feita de lençóis, que seria utilizada para escalar a muralha.
Alemão no Ceará
Considerado mentor intelectual do furto ao Banco Central, quando foram levados do cofre R$ 164,7 milhões (mais de três toneladas em notas de R$ 50), Alemão estava preso em São Paulo até julho de 2014, e voltou a uma unidade prisional cearense em março do ano passado.
Antônio Jussivan foi sentenciado a mais de 100 anos de prisão por diversos crimes, entre eles lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Operação na cadeia Pública de CANINDÉ.

141 celulares  60 carregadores  47 chips 38 baterias extras 4 pendrive 2 cartões de memória  1 balança de precisão  44 papel...