quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Sindicato dos servidores municipais de Canindé, Professora Regina Lemos é a nova presidente


Foto: Aurenice Santiago e Regina Lemos


Tomou posse, na manhã desta segunda-feira (29), como presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé Sindsec, a professora Regina Lemos. A nova presidente recebeu o cargo da ex-presidente professora Aurenice Santiago.

O momento simbólico foi realizado na sede do sindicato, sem muita formalidade haja vista que a festa de posse formal com a presença de todos os membros da nova Diretoria e suplentes ainda será marcada para uma data em que possa haver a participação do maior numero possível de servidores municipais. Conforme as regras do Estatuto do Sindsec, Aurenice Santiago só poderia presidir o sindicato até o dia 28 de janeiro.     

Ao todo foram eleitos 22 membros da diretoria, sendo 8 Diretores Executivos, 8 suplentes, 3 do Conselho Fiscal e 3 suplentes.  Os novos diretores da entidade sindical foram eleitos no último dia 18, com 636 votos contra 271 votos da chapa adversária. Compareceram às urnas 931 servidores; entre votos brancos, nulos e impugnados foi contabilizada uma diferença de 365 a mais em favor da chapa eleita.

Os novos diretores foram eleitos para o quadriênio 2018/2022.

DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Regina Catarina Lemos Santos

Vice-Presidente: Francisco de Assis Araújo Farias

Secretário Geral: Maria Eligiane Lopes Luiz

Diretor Financeiro: Ana Celia Viana Coelho

Diretor de Formação Sindical: Francisco José Braz da Silva

Diretor de Relações de Gênero, Raças e Minorias: Ludmila Calixto Costa

Diretor de Comunicação: Antonia Aurenice Santiago

Diretor de Assuntos Jurídicos: Francisco Edval Bezerra Lima Júnior

SUPLENTES

1º Suplente: Adriana Paulino de Sousa

2º Suplente: Ana Lúcia Alves Medeiros

3º Suplente: Francisca Maria Ferreira da Silva

4º Suplente: Antonio Agailson dos Santos

5º Suplente: Maria Marlete Vieira Freitas

6º Suplente: Júlio Cesar Masceno Sousa

7º Suplente: Antonio Alves da Silva

8º Suplente: Noemia Lucio Lima

CONSELHO FISCAL

1º Conselheiro: Dalva Maria Araujo Uchoa

2º Conselheiro: Antonio Genesio da Silva

3º Conselheiro: Francisco Malberio Estevão Gomes

SUPLENTES

1º Suplente: Antonia Joelza de Oliveira Alves

2º Suplente: Marcio Cosmo Santos

3º Suplente: Antonio Wanderley Sousa Nascimento

Informações do Sindsec

A polícia continua a caça aos foragidos da cadeia pública de Senador Pompeu

A Polícia divulgou nas redes sociais as fotografias de nove dos 10 criminosos da facção Comando Vermelho (CV) foragidos da cadeia pública de Senador Pompeu (a 269Km de Fortaleza).post-feature-image

Eles continuam sendo procurados por equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil em todo o Estado. Quem tiver conhecimento do paradeiro dos presidiário poderá informar através de denuncia anônima através de ligação telefônica para o 190.

De acordo com a divulgação feita pela Polícia Militar os foragidos são:

  • Francisco Israel de Araujo Santos, vulgo “Extinto”; 
  • Arlan Lucas Rodrigues Barbosa, vulgo “Pimpolho”; 
  • Raimundo Pedrosa Felício Júnior; 
  • Paulo Roberto Nascimento Silva, vulgo “Dêda”; 
  • Nailton Ferreira de Lima, vulgo “Besouro”; 
  • Francisco Rafael de Mesquita Martins, vulgo “Boel”; 
  • Fernando Oliveira Serafim, vulgo “Quixadá”; 
  • Francisco Adinael Pergentino de Mesquita, vulgo “Doido”; 
  • Ailton Jones Queiroz da Silva, vulgo “Sampaio”; 
  • Flávio Medeiros do Nascimento.

A maior chacina do Ceará foi há 81 anos com mais de 400 mortos no município do Crato


José Lourenço era da família de latifundiários do sertão da Paraíba. Decidiu migrar para Juazeiro do Norte, onde conheceu Padre Cícero e ganhou sua simpatia e confiança. Em Juazeiro, conseguiu arrendar um lote de terra no sitio Baixa Dantas, no município do Crato. Com bastante esforço de José Lourenço e os demais romeiros, em pouco tempo a terra prosperou, e eles produziram bastante cereais e frutas. Diferente das fazendas vizinhas, na comunidade toda a produção era dividida igualmente.

José Lourenço tornou-se líder daquele povoado, e se dedicou à religião, à caridade e a servir ao próximo. Mesmo analfabeto, era ele quem dividia as tarefas e ensinava agricultura e medicina popular. Para o sítio Baixa Dantas eram enviados, por Padre Cícero, assassinos, ladrões e miseráveis, enfim, pessoas que precisavam de ajuda para trabalhar e obter sua fé. Após o surgimento da Sedição de Juazeiro, da qual José Lourenço não participou, suas terras foram invadidas por jagunços. Com o fim da revolta, José Lourenço e seus seguidores reconstruíram o povoado.
Em 1921, Delmiro Gouveia presenteou Padre Cícero com um boi, chamado Mansinho, e o entregou aos cuidados de José Lourenço. Os inimigos de Padre Cícero, se aproveitaram disso espalhando boatos de que as pessoas estariam adorando o boi como a um Deus. Por conta disso, o boi foi morto e José Lourenço foi preso a mando de Floro Bartolomeu, tendo sido solto por influência de Padre Cícero alguns dias depois.
Caldeirão de Santa Cruz do Deserto 
Em 1926, o sítio Baixa Dantas foi vendido e o novo proprietário exigiu que os membros da comunidade saíssem das terras. Com isso, Padre Cícero resolveu alojar o beato e os romeiros em uma grande fazenda denominada Caldeirão dos Jesuítas, situada no Crato, onde recomeçaram o trabalho comunitário, criando uma sociedade igualitária que tinha como base a religião. Toda a produção do Caldeirão era dividida igualmente, o excedente era vendido e, com o lucro, investia-se em remédios e querosene.
No Caldeirão cada família tinha sua casa e órfãos eram afilhados do beato. Na fazenda também havia um cemitério e uma igreja, construídos pelos próprios membros. A comunidade chegou a ter mais de mil habitantes. Com a grande seca de 1932, esse número aumentou, pois lá chegaram muitos flagelados. Após a morte de Padre Cícero, muitos nordestinos passaram a considerar o beato José Lourenço como seu sucessor.
Devido a muitos grupos de pessoas começarem a ir para o Caldeirão e deixarem seus trabalhos árduos, pois viam aquela sociedade como um paraíso, os poderosos, a classe dominante, começaram a temer aquilo que consideravam ser uma má influência.
Massacre “Chacina”
Em 1937, sem a proteção de Padre Cícero, que falecera em 1934, a fazenda foi invadida e destruída pelas forças do Governo de Getúlio Vargas, que acusava a comunidade de comunismo. Os sertanejos sobreviventes dividiram-se, ressurgindo novamente pela mata em uma nova comunidade, que em 11 de maio foi invadida novamente, dessa vez por terra e pelo ar, quando aconteceu um grande massacre, com o número oficial de 400 mortos (outras estimativas, entanto, chegam a mais de 1000). Os familiares e descendentes dos mortos nunca souberam onde encontram-se os corpos, pois o Exército Brasileiro e a Polícia Militar do Ceará nunca informaram o local da vala comum na qual os seguidores do Beato foram enterrados. Presume-se que a vala coletiva encontra-se no Caldeirão ou na Mata dos Cavalos, na Serra do Cruzeiro (região do Cariri). José Lourenço fugiu para Pernambuco, onde morreu aos 74 anos, de peste bubônica, tendo sido levado por uma multidão para Juazeiro, onde foi enterrado no cemitério do Socorro.
Da época da Irmandade do Caldeirão de Santa Cruz do Deserto, existem ainda a capela branca, que tem como padroeiro Santo Inácio de Loyola, ao lado da ermida, duas casas, um muro de laje de um velho cemitério, um cruzeiro e no alto as ruínas da residência do beato José Lourenço.
Atualmente, 47 famílias vivem num sítio denominado Assentamento 10 de Abril, a 37 km do centro do Crato. No local encontram-se 47 casas, sendo que 44 de alvenaria e uma escola, porém sem ostentar as dimensões atingidas pelo então Caldeirão do beato José Lourenço. As famílias residentes mantém atividade de horticultura comercial,agricultura de subsistência e apicultura.
A ONG SOS Direitos Humanos entrou com uma ação civil pública no ano de 2008 na Justiça Federal do Ceará, contra o Governo Federal do Brasil e Governo do Estado do Ceará, requerendo que o Exército Brasileiro tornasse público o local da vala comum, realizasse a exumação dos corpos, identificasse as vítimas via exames de DNA, enterrasse os restos mortais, indenizasse no valor de R$ 500 mil, todos os familiares das vítimas e os remanescentes, e incluísse na história oficial, à título pedagógico, a história do massacre do Sítio da Santa Cruz do Deserto, ou Sítio Caldeirão. A pedido do Ministério Público Federal da cidade de Juazeiro do Norte, a ação foi extinta sem julgamento de mérito pelo juiz da 16ª Vara Federal de Juazeiro do Norte. A ONG recorreu ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região em Recife, Pernambuco, requerendo que a ação seja julgada o mérito porque o crime cometido contra a comunidade do Sítio Caldeirão é de lesa humanidade, e portanto, imprescritível.
No ano de 2009, a mesma ONG denunciou o Brasil à Organização dos Estados Americanos, por crime de desaparecimento forçado de pessoas e para que seja obrigada a informar a localização da vala comum com as 1000 vítimas do Sítio Caldeirão. A entidade considera o sítio Caldeirão como o Araguaia do Ceará, uma vez que os militares mataram 1000 pessoas e após, enterraram em vala comum em lugar desconhecido da mata dos cavalos, em cima da Chapada do Araripe. A ONG está pedindo auxílio à entidades internacionais para que a vala comum seja encontrada, bem como, de geólogos, geofísicos e arqueólogos para identificar a localização da vala comum.
Em 1986 o cineasta Rosemberg Cariry, realizou um documentário rico em depoimentos de sobreviventes do massacre. Caldeirão é um movimento considerado como uma outra Guerra de Canudos.
O CRIME DE LESA HUMANIDADE
O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.
A AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELA SOS DIREITOS HUMANOS
Como o crime praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL conforme legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza – CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo:
  1. a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA,
  1. b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas,
  2. c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira,
  1. d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais,
  2. e) outros pedidos
A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO
A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.
RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5
A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;
A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA
A SOS DIREITOS HUMANOS, como os familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.
QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA
A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do “GEOPARK ARARIPE” mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?
A COMISSÃO DA VERDADE
A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e pede que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.
Paz e Solidariedade,
Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS – DIREITOS HUMANOS
Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OABAB/CE
Informações: Whikipédia

Assaltante morre quando fazia vítima refém na cidade de Morada Nova; arma de PM falha 73 0

Região do Jaguaribe: um assaltante morreu na cidade de Morada Nova quando os policiais lhe flagraram cometendo um crime. A viatura foi parada por quatro pessoas informando que no Campo de Aviação estaria havendo assaltos. A equipe se dirigiu ao local, mas nada foi encontrado, resolveu fazer um patrulhamento nas proximidades, no bairro Prourb e se deparou com dois elementos em atitude suspeita.
Destaca o relatório, que na abordagem, foi dada voz de parada e os elementos foram instruídos que se deitassem no chão, porém, um disse em voz alta que era a vítima.
O outro suspeito sacou uma arma, quando o patrulheiro da composição gritou aos demais que o outro indivíduo, identificado como Francisco Glaubesson Rodrigues dos Santos-Dedé do Prourb-26 anos, estava armado. Prontamente, o patrulheiro efetuou disparos, acertando o acusado no braço e abdômen, vindo à arma do patrulheiro a dar pane.
Não cessado a tentativa de reação, o motorista da viatura também efetuou disparos, alvejando o acusado. Logo após a ação policial foi constatado que a arma que o sujeito portava era um simulacro, tipo pistola modelo 840, cal. 40mm. O elemento alvejado foi levado para o Hospital de Morada Nova.
O que chama atenção é a arma do policial, sem dúvida se o assaltante não estivesse com um simulacro, teria atingido o PM. O que prova que os agentes de segurança do Ceará estão trabalhando com armamento inferior aos dos criminosos.

140 presos morreram nos presídios do Ceará em 4 anos

Image-0-Artigo-2356384-1Em maio de 2016, mês quando 18 internos foram mortos em rebeliões ocorridas nas unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) admitiu a primeira transferência emergencial de detentos ameaçados. Desde então, presídios e cadeias do Ceará se tornaram local propício para a prática de crimes de faccionados aliados.
Ao mesmo tempo em que de dentro das unidades prisionais partem as ordens de ataques em vias públicas e determinações de quem deve viver ou morrer, os internos ganham força e percebem as brechas para a imposição de exigências. Nos últimos meses, a ordem mais comum de detentos é a separação de presídios por organização criminosa.
Quando duas facções rivais dividem o mesmo espaço, o risco de morte é iminente. Em parte, o número de, pelo menos, 140 assassinatos dentro das unidades prisionais do Estado contabilizados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), de 2013 até 2017, se deve a essa guerra interna.
Conforme Justa, a guerra instalada na Cadeia Pública de Itapajé foi em retaliação à barbárie provocada nas Cajazeiras pela Guardiões do Estado (GDE). Para o Copen, o Governo do Ceará errou no diagnóstico ao traçar ações e subestimou a força das organizações dentro e fora das penitenciárias.
"Nós lamentamos muito. Avisos não faltaram da nossa parte. Essa chacina foi um processo que já estava sendo estabelecido no Estado. Na Grande Fortaleza, as facções já estão divididas, e isso diminui o risco de confronto. A Sejus precisa fazer um trabalho de remanejamento, mas não há vagas suficientes para essa separação. A tendência é que chacinas como essa se repitam, principalmente no Interior", apontou Justa.
Déficit no efetivo
Além das insuficientes vagas no Sistema Penitenciário do Ceará, Cláudio Justa destaca a carência no quantitativo de agentes penitenciários. "Com essa nova dinâmica do crime organizado é fatal deixar um agente responsável por uma unidade. As ações do Governo estão sendo postas em xeque. Existe uma rede de lideranças presa e o atual serviço de Inteligência não consegue conter esse avanço", disse Justa.
Lembrando que a Sejus está em processo de construção de um presídio de segurança máxima estadual, a ser entregue ainda neste ano, o presidente do Copen avalia que o novo equipamento não solucionará o problema. Segundo Justa, o Ceará abriga integrantes de facções que estão em nível de gerenciamento e podem, facilmente, serem substituídos. "Um presídio assim serve para a separação dos cabeças das facções. Aqui, o poder é descentralizado. São pessoas altamente substituíveis. O dinheiro desse presídio seria melhor aplicado nos equipamentos que já existem", avalia.

MPF-CE considera ilegal quitação do DPVAT até hoje


No último dia 24, o Diário do Nordeste publicou que a Seguradora Líder havia mudado o entendimento com relação ao pagamento do DPVAT em 2018

Cinco horas antes de iniciar o último dia para o pagamento da parcela de 2018 do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT), o Ministério Público Federal Seção Ceará (MPF-CE) recomendou que a Seguradora Líder, gestora do serviço, torne sem efeito a decisão de pagamento em uma única parcela anualmente.
De acordo com o procurador da República Oscar Costa Filho, autor da recomendação, a deliberação da Seguradora Líder "é um ato abusivo e ilegal contra o usuário de trânsito". Segundo ele, a resolução vai de encontro ao entendimento do próprio Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), do qual cobrou providências.
Para Oscar Costa Filho, o prazo estipulado pela empresa desobedece a súmula 257 do Superior Tribunal de Justiça (STJ), de 8 de agosto de 2001. Segundo o texto, a falta de pagamento do prêmio do seguro obrigatório "não é motivo para a recusa do pagamento da indenização".
Conforme o procurador autor da recomendação, a Seguradora Líder não pode deixar de realizar as indenizações. "Não se trata de um seguro regido pelo privado, o qual se você não paga, você perde a garantia de cobertura. No caso do DPVAT, pela natureza pública, não é assim; ela continua obrigada a ceder mesmo sem pagamento", pontua.
A tomada de decisão do MPF-CE é apenas uma recomendação, sem validade jurídica para tornar sem efeito a decisão da empresa de seguros. O órgão, porém, garante que, caso a decisão não seja acatada, deverá tomar as providências legais para reaver as definições anteriores. "Lá na ponta, isso pode caracterizar até ato de improbidade administrativa, pois eles são entes privados na prestação de serviço público", explica Oscar Filho.
Em nota, a Seguradora Líder informou que "não recebeu, formalmente, a recomendação citada" e reiterou o argumento de que segue a Resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) 332/2015, na qual é estipulado que "o vencimento do Seguro DPVAT deve ser o mesmo da cota única do IPVA em todos os estados". 
"Segundo a mesma Resolução do CNSP, 'se o proprietário do veículo causador do sinistro não estiver com o prêmio do Seguro DPVAT pago no próprio exercício civil, e a ocorrência do sinistro for posterior ao vencimento do Seguro DPVAT, o proprietário não terá direito à indenização'", posição que é questionada pelo MPF na citada súmula do STJ. 
O Detran-CE já havia se manifestado sobre o caso por meio de nota. O órgão destacou que a definição dos valores, prazos e forma de pagamento, assim como a cobertura do seguro e os reajustes são de responsabilidade da administradora do DPVAT. Contudo, deverá ser mantido a exigência de pagamento do seguro obrigatório apenas no ato do licenciamento. Dessa forma, o Detran-CE indica que seguirá o próprio calendário da instituição, de acordo com o final da placa de cada veículo.
O caso
No dia 24 de janeiro deste ano, o Diário do Nordeste publicou com exclusividade que a Seguradora Líder havia mudado o entendimento com relação ao pagamento do DPVAT em 2018, sendo obrigatória a quitação até hoje.
A prestadora de serviços, justificando-se na resolução do CNSP, airma que, caso o proprietário do veículo não efetue o pagamento até a data determinada, o veículo ficará sem cobertura em caso de acidentes com mortes, invalidez permanente ou despesas médicas.
O prazo determinado pela empresa coincide com o pagamento da cota única ou primeira parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), a contribuição estadual para detentores de veículos. No caso do DPVAT, contudo, não há a possibilidade de pagamento parcelado do valor.
A decisão pegou os motoristas de surpresa, uma vez que o prazo foi divulgado uma semana antes do limite estipulado. Os motoristas cearenses deverão emitir a guia do DPVAT diretamente pelo site do Detran-CE e realizar o pagamento nos seguintes bancos: Bradesco, Caixa Econômica, Itaú, Santander ou Banco do Brasil. No caso de veículos isentos do IPVA, o vencimento do prêmio à vista se dará juntamente com o emplacamento ou no licenciamento anual.

Parcelamento sem juros no cartão de crédito pode acabar

Image-0-Artigo-2356664-1Fortaleza/Rio. O setor de cartões de crédito e o Banco Central estão discutindo - ainda em fase inicial - a criação de um novo sistema que deve substituir a modalidade "parcelado sem juros" dos cartões de crédito. Com a medida, o prazo para o recebimento do pagamento pelos lojistas seria reduzido de 30 para 5 dias. A proposta faz parte de um conjunto de medidas que o setor vem debatendo desde o fim do ano retrasado com o intuito de reduzir custos e ampliar o uso do meio de pagamento, além de aproximar as práticas brasileiras das práticas internacionais.
A ideia é oferecer ao consumidor uma espécie de crediário pessoal para o parcelamento da compra com base em um limite concedido pelo banco emissor e que poderia ser usado em qualquer estabelecimento. O cliente ficaria a par das despesas com juros e das prestações no ato da compra, com as informações exibidas no visor da maquineta.
A ideia de um crediário pessoal no lugar do parcelado sem juros, que apesar das taxas embutidas, já é um método amplamente conhecido e praticado no comércio em todo o País, deve enfrentar forte resistência de consumidores e lojistas que podem ver a iniciativa como burocrática. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), Cid Alves, a mudança pode dificultar a relação entre consumidores e o comércio.
"Qualquer instrumento que dificulte a relação entre as pessoas que produzem bens ou serviços para o País é nocivo. Em um momento de retomada da economia brasileira, uma notícia como esta pode dificultar muito essa relação", avalia Cid Alves.
Debate
Ele acredita ainda que, se a medida for de fato implementada, o ideal é que haja, antes, ampla discussão com as entidades que representam o comércio. "Se for feita essa mudança, a forma como se relacionam conosco (bancos e cartões) e com consumidores, que seja algo bem gradual, depois de passadas todas as crises e depois de o assunto se discutido com todas as confederações. Se eles querem fazer como na Europa e América do Norte, que sejam praticadas também taxas mais baixas, porque as daqui são absurdas", destaca ainda o presidente do Sindilojas.
Competitividade
Já considerando a complexidade da proposta, a ideia do setor de cartões junto ao Banco Central é que a medida seja acompanhada por taxas e prazos atraentes. O presidente do Sindilojas ressalta ainda que Departamentos de Defesa do Consumidor devem participar do debate sobre o assunto. "Isso altera um sistema que a gente usa desde 1994, então isso remete a uma situação que dificulta a relação com o consumidor".
Débito
Neste mês, o presidente do banco Central, Ilan Goldfajn, disse que já está sendo discutida a redução no custo das operações com cartões de débito para ampliar o uso do sistema e diminuir a quantidade de dinheiro em espécie que circula no País, o que resultaria na economia com a fabricação de cédulas e moedas, além de elevar o controle sobre a circulação de recursos, coibindo atividades ilícitas.
Agenda BC+
A redução do custo das operações usando o cartão de débito faz parte da Agenda BC+, preparada pela instituição financeira com metas de longo prazo. O movimento do Banco Central, apoiado pelo setor de cartões de crédito e, nesse caso, pelo varejo, estaria em sintonia com uma tendência global. Isso porque outros países têm discutido a redução do uso de papel moeda para combater a lavagem de dinheiro e o pagamento de propinas a funcionários públicos.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Jovem mata PM para entrar na GDE


As investigações serão realizadas em conjunto pela DCA e a Divisão de Homicídios ( Foto: Reinaldo Jorge )


Um adolescente de 17 anos confessou, ontem, na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), a autoria do latrocínio ocorrido, no último sábado (20), que vitimou o PM da Reserva Remunerada Petrolino Leonardo da Silva Neto, 63. Um militar, que não quis se identificar, disse à reportagem que o jovem teria matado o PM para, com o feito, passar a integrar a facção Guardiões do Estado (GDE).
Ele foi levado à Especializada, pela própria mãe. "Ela estava muito abalada, mas ainda tem o controle do filho", relatou à titular da DCA, delegada Arlete Silveira. A morte do militar ocorreu no Conjunto Esperança. No local, foi encontrado um revólver, que, segundo o suspeito, foi comprado na Feira da Parangaba há cerca de um ano.
As investigações serão realizadas pela DCA e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O jovem foi submetido a exame de corpo de delito, depois retornou à DCA para depor. Na ocasião, houve divergências em relação à arma encontrada. Em até 24h, o Ministério Público decidirá ou não pela internação.
O adolescente relata que estava escondido em matagais, e que se entregou por medo de represálias ou de uma vingança.

Mãe entrega filho suspeito de matar PM

Grupo suspeito de cometer uma série de homicídios é capturado no Ceará


Ações realizadas pela Polícia Militar do Ceará (PMCE) e pela Polícia Civil do Ceará (PCCE), em Maranguape, Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12), resultaram na captura de um grupo composto por cinco adultos e um adolescente, todos suspeitos de participarem de uma série de homicídios na região. Durante o trabalho policial, realizado entre os dias 10 e 20 de janeiro, foram apreendidas seis armas de fogo e munições de diversos calibres.Entre os crimes atribuídos ao grupo, está a chacina ocorrida no dia 7 de janeiro na localidade de Serra Pelada, que resultou na morte de quatro pessoas, além de outros três crimes de morte registrados na última semana.
Sábado
Equipes da PMCE realizavam patrulhamento quando, ao chegarem à localidade de Vassouras, avistaram três indivíduos em atitude suspeita, que, ao perceberem a aproximação dos militares, fugiram em direção a um matagal. A partir daí, os policiais deram início ao trabalho de buscas na região. Uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foi acionada para realizar uma varredura na área utilizada pelo trio como esconderijo.
Após um trabalho intenso pela região, os policiais encontraram Robson Fernandes de Lima (18), que já responde a um homicídio; Leandro Barbosa Maciel (24), sem antecedentes criminais; e um adolescente de 17 anos. Com eles, que estavam escondidos em um galpão, foram apreendidos um revólver calibre 38, uma pistola 380, cinco munições de calibre 38, uma munição calibre .40 e outras sete munições de calibre 380, além de dois carregadores, um de PT 100 e outro PT 380. O trio é apontado como responsável por três homicídios ocorridos na última semana, no bairro Tanques. No primeiro crime, na quinta-feira (18), a vítima foi identificada como Alex Pereira Cavalcante (24), enquanto na sexta-feira (19), foram mortos Isaías Ferreira da Silva (23) e Antônio Francisco Ferreira de Sousa (25).
O trio foi encaminhado para a Delegacia Metropolitana de Maranguape, onde foi registrado contra o adolescente um ato infracional análogo aos crimes de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e associação criminosa. Já Leandro Barbosa e Robson Fernandes foram autuados em flagrante pelos mesmos crimes e também por corrupção de menores.
Prisões anteriores
As duas primeiras prisões de suspeitos de envolvimento em homicídios na região aconteceram no dia 11 de janeiro, quando equipes do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) localizaram Gustavo dos Santos Araújo (18) e Rones Erivaldo da Silva Brasil (29). Os dois trafegavam em uma motocicleta, no bairro Coité, e fugiram ao avistarem a composição policial. Na ocasião, foram apreendidos três revólveres calibre 38 e 15 cartuchos do mesmo calibre, além crack, cocaína, R$ 324,00 e uma moto. Já no dia 17 de janeiro, os policiais do BPRaio localizaram Lucas Natanael da Silva (24). Com ele, foram encontrados um revólver calibre 38, com seis munições intactas; 136g de cocaína e mais 48g de crack.

Carga de eletrodomésticos é recuperada em ação comandada pela DRFVC em Itapiúna

Policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) recuperaram, nessa sexta-feira (19), uma carga de eletrodomésticos na cidade de Itapiúna, na Área Integrada de Segurança 15 (AIS 15). Conforme as apurações realizadas pela delegacia especializada, o crime foi orquestrado por um suspeito que se encontra recolhido em uma Unidade Prisional do Estado. Um homem que estava no local foi detido pela equipe policial.
Após diligências, os policiais civis localizaram o veículo roubado, com a carga, em uma localidade entre os municípios de Itapiúna e Capistrano (AIS 15). Defronte a uma residência da região, os profissionais de segurança perceberam a chegada de um homem, em atitude suspeita, que imediatamente foi abordado. Por meio das investigações e os levantamentos no imóvel, foi constatado que Antônio Fernandes de Amorim Filho (31) – conhecido por “Fei”, que atualmente se encontra preso, foi o responsável por articular a ação criminosa. “Fei”, que possui 21 passagens pela Polícia por crimes como roubos de cargas, receptação, crime contra a administração pública e porte ilegal de arma de fogo, além de ser o mandante do crime, também pretendia revender os materiais.
No interior do imóvel, estava a carga composta por eletrodomésticos. Os bens foram roubados no dia 17 de janeiro, no bairro Messejana (AIS 03), após um grupo armado abordar as pessoas que transportavam o material, na Avenida Contorno Sul. O suspeito capturado no local foi encaminhado à sede da DRFVC, e agora, as diligências seguem em andamento visando identificar outras pessoas que participaram da atividade ilícita. 
Fonte: SSPDS 

Empresários de Quixadá são vítimas de noticias falsas em redes sociais

Região Central: os administradores de grupos de aplicativos sociais como whatsapp tem que ficar atendo as notícias postadas pelos membros, eles podem ser responsabilidade civilmente e criminalmente. Na noite desta segunda-feira(22), dois empresários de Quixadá foram vítimas de boatos, uma montagem como se eles estivessem presos por clonagem de veículos.
Polícia desarticula quadrilha especializada em roubos e clonagem de carro em Quixadá. Empresário Jô publicidade e Valtinho dos pneus de aço são presos agora à tarde pela polícia civil.” Diz a noticia falsa.
O empresário Jean Karlos Castelo de Almeida – popularmente conhecido como “Jô Publicidade”, postou áudios esclarecendo que tratava-se de uma mentira. Ao portal Revista Central, pediu apoio disse que estava recebendo ligações de amigos e familiares. Ele já identificou quem teria postado, acrescentando que foi uma brincadeira.
Portanto, os supracitados empresários não foram presos e a foto trata-se de uma montagem falsa, mais um boato do “fak News”.

GUARDA CIVIL MUNICIPAL DE PACAJUS de QAP

FAZENDO PATRULHAMENTO PREVENTIVO E OSTENSIVO NO BAIRRO PLANALTO POPULAR BATE DE FRENTE COM UM ASSALTO EM ANDAMENTO.

ONDE DOIS ELEMENTOS AO AVISTAR A VIATURA ABANDONA A MOTO E SAI CORRENDO A GCMP CORRE ATRÁS E CONSEGUE CAPTURAR OS DOIS.

ACUSADOS
M .A .S 16 ANOS
F .R .L .C 16 ANOS
OS MESMOS ESTAVAM ROUBANDO A MOTO DE UM CIDADÃO COM ELES FOI ENCONTRADO UM SIMULACRO DE ARMA DE FOLGO E NA CASA DE UM DELES MAIS DOIS SIMULACROS.
PROCEDIMENTO SENDO REALIZADO NA DP DE HORIZONTE NESSE QTR.
PARABÉNS PRA GUARDA CIVIL MUNICIPAL DE PACAJUS.
PONTO PARA SEGURANÇA PÚBLICA

Varzea Alegre-ce

Prisão em flagrante ,acusado Joaquim Frutuoso de Oliveira, confecção e conserto de arma de fogo no sitio vacaria
 

OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL PRENDE O CHEFE DO TRÁFICO NA LOCALIDADE DE MISSI EM IRAUÇUBA

Na manhã de hoje policiais civis da Delegacia Regional de Itapipoca com o apoio de policiais civis da Delegacia Municipal de Amontada, cumpriram mandados de busca e apreensão na localidade de Missi, no município de Irauçuba.
Nas buscas lograram êxito em prender em flagrante, por infração ao artigo 33 da Lei de Drogas, Alex Alano Rodrigues Teixeira, de 21 anos. As informações de inteligência davam conta de que "Alex" chefiava o tráfico de drogas no Distrito de Missi, outras diligências ainda estão em curso para capturar outros acusados.
 

17ª Romaria de Canindé a Juazeiro do Norte

O prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, recepcionou, na última sexta-feira(19), mais de 100 motociclistas da cidade de Canindé, que participaram da 17ª Motorromaria de Canindé a Juazeiro percorrendo mais de 427 km numa viagem de 10 horas, guiados pela devoção ao Padre Cícero.
Com o lema “Homens e máquinas em romaria sobre duas rodas com destino ao Juazeiro Norte”, o grupo formado por homens, mulheres e crianças, peregrinou de Canindé à terra do Padre Cícero em motocicletas e em carros.

O Coordenador da motorromaria, Auricélio Silva, ressalta que a devoção ao Padre Cícero é o principal objetivo que une essas pessoas no percurso.


Fonte: Portal Canindé

Postagem em destaque

PM morre em acidente

É COM IMENSA TRISTEZA, QUE COMUNICAMOS O FALECIMENTO DO NOSSO AMIGO PM YURE  LOTADO EM ARACATI. O MESMO FOI VITIMA DE ATROPELAMENTO NA NOIT...